Arquivo

Arquivo de março, 2011

Lançamento – O Baronato de Shoah

23, março, 2011 Sem comentários

Aproveitem para conferir 2 resenhas do livro.

André Vianco lança novo livro pela Editora Rocco

10, março, 2011 3 comentários

O mais bem sucedido autor de terror brasileiro, André Vianco, estreia na sua nova casa literária com ‘O caso Laura’, descrito por ele como um ‘policial dark’ (mas com elementos fantásticos, que eu sei!)

A capa já foi divulgada no site oficial do escritor:

A data de lançamento é dia 26 de março e já foram anunciadas algumas sessões de autográfos:

Eventos: Abril de 2011

6 de abril – Rio -Livraria Saraiva Botafogo Praia Shopping – quarta – das 19 às 22 h.

9 de abril – São Paulo – Livraria Saraiva Shopping Center Norte – sábado – 15 às 18h.

12 de abril – Campinas – Saraiva Shopping Iguatemi – terça – 19 às 22h.

13 de abril – Joinville – Livrarias Curitiba – quarta – 19 às 22h.

14 de abril – Florianópolis – Livrarias Curitiba – quinta – 19 às 22h.

15 de abril – Porto Alegre – FNAC – sexta – 19 às 22h.

26 de abril – Curitiba – Livrarias Curitiba – terça – 19 às 22h.

28 de abril – Londrina – Livrarias Curitiba – quarta – 19 às 22h.

Eventos em maio 2011

02 de maio – Poços de Caldas – FLIPOÇOS – segunda – 20hs.

03 de maio – Brasília – Saraiva Shopping Pátio Brasil – terça – 19 às 22h.

04 de maio – Salvador – Livraria Cultura Salvador – quarta – 19 às 22h.

05 de maio – Fortaleza – Livraria Cutura Fortaleza – quinta – 19 às 22h.

Lembrando que o próprio autor recomenda aos seus leitores para não exagerar na pilha de livros a serem autografados. 😉

O primeiro capitulo pode ser lido aqui.

E vejo vocês no lançamento carioca!

Os 10 Melhores Romances de FC e F da década – segundo os leitores da Tor.com

4, março, 2011 9 comentários

Olha, acho que todo mundo anda meio de saco cheio de listas: ‘os melhores livros sobre sexo’, ‘os melhores filmes inspirados em livros sobre sexo’ e por aí. Porém, esse ranking feito pelos leitores do site oficial da editora Tor – especializada em literatura fantástica e que publica grandes nomes – me bateu por dois motivos. Primeiro, eu li seis dos mais votados, o que me deu aquele orgulhinho besta de estar minimamente antenada. E em segundo lugar, porque dos 10 livros, 2 estão disponíveis em edições brasileiras e 2 estão programados para recebe-las.

Vamos a lista.

*

1- Old Man’s War by John Scalzi

Ainda sem previsão de sair no Brasil, o excelente romance de John Scalzi é o primeiro de uma série passada em um futuro no qual a Terra é uma potência universal. E como toda potência, enfrenta percalços militares que são resolvidos de forma inversa à maneira mostrada no clássico Ender’s Game de Orson Scott Card: no universo criado por Scalzi, as batalhas são combatidas por anciões que receberam corpos novos. É, exatamente isso: aos setenta anos, ao invés de se aposentar, você se torna um recruta, ganha um corpo construído com super habilidades e vai batalhar contra os mais diversos tipos de criaturas, nos lugares mais inóspitos possíveis.  A narrativa é deliciosa, com um senso de humor sensacional e faz referências a dois clássicos da FC militar que já aportaram no Brasil:  Tropas Estelares do Robert Heinlein e Guerra sem fim do Joe Haldeman (que saiu pela Iluminuras, que traz títulos surpreendentes a preços exorbitantes).

Você pode degustar um pouco do cenário aqui (em inglês) e podemos torcer para que a adaptação do livro para o cinema nos traga uma versão brasileira, com um título melhor que a portuguesa que saiu pela Gallilivros (A guerra é para os velhos)

*

2- American Gods by Neil Gaiman

Neil Gaiman

Um momento de descanso para os olhos

Ter Neil Gaiman no ‘top 10’ não é surpresa, a surpresa foi ele não estar no topo! Deuses Americanos – que finalmente vai ser reeditado pela Conrad – consolidou o roteirista de Sandman como escritor e pavimentou a estrada para que ele se tornasse um dos poucos popstars literários de hoje. Numa trama cheia de referências à mitologia, acompanhamos Shadow em uma viagem pelos Estados Unidos, em um clima de Road movie fantástico. Nessa estrada, ele vai encontrado criaturas e seres que, desenraizados, construíram novas identidades e novas religiões no novo mundo.

Não há muito o que falar desse livro que redefiniu a Fantasia Contemporânea – ou do seu autor, um dos escritores mais ativos, bonitos e cheirosos dos últimos tempos.

E sim, ele é cheiroso. Eu sei. Dei um abraço nele. Há!

(Ok, foi desnecessário, mas não agüento falar do Gaiman sem ressaltar essa parte. Me processem!)

*

3- The Name of the Wind by Patrick Rothfuss

Eis a grande surpresa – da lista e da década! Primeira parte da ‘Crônica do Matador de Reis’ – o 2º livro Wise man’s fear sai agora em março nos EUA – O nome do vento saiu no Brasil em 2009, apenas 2 anos depois de sua primeira edição. É o romance de estréia de Pat Rothfuss e seu sucesso surpreendeu até mesmo o autor, que  aproveitou a fama para… fazer caridade!

Uma fantasia sombria, que conta a história de Kvothe por várias dificuldades enquanto ele busca desenvolver forças para se vingar dos Chandrianos, entidades lendárias que voltam a vida e provocam um desequilíbrio de forças. O livro todo tem um clima de desespero e de sombras – mesmo a quadrinha infantil sobre os vilões começa a dar medo quando você se aprofunda mais na história:

When the hearthfire turn to blue,
what to do? what to do?
Run outside, run and hide.
When his eyes are black as crow?
where to go? where to go?
Near and far. here they are
See a man without a face?
Move likes ghosts from place to place
what’s their plan? What’s their plan?
Chandrian. Chandrian

A bela capa brasileira


A Carol fez uma boa resenha do livro.

*

4- Blindsight by Peter Watts

Desse livro, eu nem tinha ouvido falar. Então, recorri ao Google – e aquele orgulho besta meio que desapareceu, já que o romance concorreu ao Hugo de 2007… A minha desculpa é, que segundo a Wikipedia,  trata-se de um romance de FC Hard, que não é minha praia. A trama explora temas como identidades e consciência, usando como mote uma equipe de astronautas que encontra uma entidade extraterrestes. E pra minha total surpresa, o livro está disponível online! Vou aproveitar para ler.

*

5- Kushiel’s Dart by Jacqueline Carey

Outro que se encaixa na categoria ‘nunca ouvi falar’.  Pelo que vi na Wikipedia, é uma fantasia inspirada no Gênesis, com anjozzzz….

Não, não me interessou. Pelos comentários da equipe da Tor.Com, é uma série com muitos fãs – o que explica a sua inclusão.

*

6- A Storm of Swords by George R.R. Martin

Se você não sabe quem é George Martin ou a sua série, sugiro que você leia esse post.

Leu?

Não há muito mais o que falar. Storm of swords é o terceiro e maior livro da saga até agora, e o mais complexo – segundo os fãs. Eu? Bem, apesar de ter adorado o primeiro volume, prometi que só leria os outros quando o 5º livro saísse.

Se a notícia for verdade, acho que tenho três livros para ler esse ano!

*

7- Jonathan Strange & Mr Norrell by Susanna Clarke

Esse foi um livro que me derrotou. Cheguei no final por pura obstinação mesmo, porque vontade de largar eu tive, e muita.

Porém, o romance de estréia de Susanna Clarke foi muito elogiado e premiado, com críticos encantados pela prosa dickeniana que conta a história de dois homens que trazem a magia de volta para a Inglaterra.

Quem quiser se aventurar, o livro foi publicado no Brasil.

*

8- Anathem by Neal Stephenson

Esse está na pilha para ler. Ainda não me animei a passar das 100 primeiras páginas  – são 930. E pelo tamanho, vocês devem ter uma vaga idéia de que nada acontece muito no começo. Mas a discussão parece bem interessante.

Um dado: esse livro era a barbada para o Hugo de 2009, que perdeu para o infanto-juvenil O livro do cemitério do Neil Gaiman. Admito que votei no Gaiman.

*

9- Mistborn: The Final Empire by Brandon Sanderson

Brandon Sanderson é o melhor aluno de Robert Jordan  e seu trabalho na trilogia Mistborn – que começou com esse livro – lhe valeu o posto de perpetuador da saga de Jordan (para quem não sabe, “Wheel of time”).

Achei muito ‘predestinado muda o destino do Mundo’, mas a protagonista é bastante simpática e acaba te atraindo pro livro. O cenário é bem construído, inclusive a parte dos poderes dos Mistborn.

*

10- Perdido Street Station by China Mieville

Bem, esse livro é o grande responsável pelo hype que surgiu no fandom brasileiro sobre a moda New Weird. E em parte isso se justifica pela qualidade do texto. Mieville desfia a cidade de New Crobuzon com uma veracidade que por vezes é difícil lembrar que ela não existe.

Criaturas bizarras, um perigo que ameaça destruir tudo, um casal completamente impossível – que tem uma cena de sexo belissimamente escrita, um plot intrigante e complexo. Faltam adjetivos para descrever esse delírio do escritor inglês. Ah sim, foi prometido para breve pela Tarja Editorial!

Não é o Gaiman, mas é charmoso

Pessoalmente, a minha lista teria o Pat Rothfuss em 1º, o Neil Gaiman em 2º e o China em 3º – com um quase empate com o Scalzi.

Bem, é isso, espero que vocês aproveitem o post e leiam alguns desses livros, em inglês ou em português.

Política para quem precisa.

3, março, 2011 5 comentários

A política é tema de grandes sagas da Ficção Científica, mesmo que essa impressão não pule a  primeira vista.

Toda a trama de ”Duna’ e suas sequencias se movem pelo jogo de poder e política envolvendo o planeta Arrakis. Os ‘Hyperion Cantos’ de Dan Simmons (uma série excelente, dentro da New Space Opera e que merece um artigo aqui um dia) são quatro livros que tratam de monstros, viagem no tempo, um poeta morto e… política.

Poderia citar mais uma tonelada de exemplos (Star Wars seria um).

Mas acho que já mostrei meu ponto. Assim, pode-se dizer que o novo lançamento do selo Pulsar da Devir está inserido num longo contexto dentro da Ficção Científica mundial – que por vezes é deixado de lado no Brasil. Com contos de autores consagrados no cenário internacional, meu único ‘porém’ seria a pouca participação de escritores brasileiros novos – a exceção seria Flávio Medeiros Jr, autor de ‘Quintessência’ e ‘Casa dos Vampiros’. O ponto forte é que o organizador, Marcello Simão Branco, é cientista político de formação, o que garante um olhar acadêmico sobre o assunto.

(PS: Ainda não foi desta vez que eu gostei da capa…)

DEVIR LANÇA PRIMEIRA ANTOLOGIA BRASILEIRA DE FICÇÃO CIENTÍFICA POLÍTICA

Assembleia Estelar: Histórias de Ficção Científica Política

Organizador: Marcello Simão Branco, organização e introdução
Capa: Vagner Vargas
408 páginas
ISBN: 978-85-7532-453-0.
Preço: R$ 39,90.

Com histórias de Bruce Sterling, Ursula K. Le Guin, Orson Scott Card (EUA),  Luís Filipe Silva (Portugal), Fernando Bonassi, André Carneiro, Henrique Flory, Flávio Medeiros Jr., Ataíde Tartari, Daniel Fresnot, Carlos Orsi, Roberto de Sousa Causo, Miguel Carqueija e Roberval Barcellos.

Se é verdade que a ficção científica está mais associada aos temas da exploração do espaço, seres extraterrestres, viagens no tempo ou realidade virtual, ela também possui uma ampla relação com a política. A começar pela presença em narrativas utópicas que idealizaram civilizações mais virtuosas, posteriormente na presença de assuntos políticos nos enredos das histórias contemporâneas de FC, especialmente aquelas que exploram novas utopias, distopias ou sociedades alternativas, mas também especulações sobre a realidade social e política, tratando das instituições da democracia, da globalização e dos conflitos internacionais.

Assembleia Estelar é uma antologia inédita neste tema no Brasil, e desenvolve essa relação de afinidade sublinhando que a extrapolação sobre as formas de organização política, além de estar na gênese do gênero, tem muito a ser explorada. Esta é a principal intenção através de quatorze contos, com a presença de autores como os norte-americanos Bruce Sterling, Orson Scott Card e Ursula K. Le Guin, esta com seu conto “O Dia Antes da Revolução”, vencedor do Prêmio Nebula 1974. Além deles, Luís Filipe Silva, Daniel Fresnot, André Carneiro, Fernando Bonassi, Carlos Orsi, Ataíde Tartari, Miguel Carqueija, Henrique Flory, Flávio Medeiros Jr., Roberto de Sousa Causo e Roberval Barcellos contribuem com interpretações ficcionais de cenários históricos, sociedades ideais ou de pesadelo, investigações sobre configurações e efeitos das instituições políticas, além de possíveis guerras no futuro.
Sobre Assembleia Estelar:

“A ficção científica é o mais político dos gêneros literários: seus temas privilegiados são a opressão e a resistência, a guerra, as diferentes modalidades do exercício do poder ou a relação entre o ser humano e o meio ambiente. Os contos deste volume falam de eleições e parlamentos, de estadistas e de ditadores, de guerrilheiros e senadores. Mas falam, principalmente, de mundos alternativos, de realidades possíveis que não se realizaram. Partilham a convicção de que, longe de ser destino, a sociedade humana é fruto das escolhas que seus habitantes fazem.”

— Luis Felipe Miguel, Professor de Ciência Política da Universidade de Brasília.

“Marcello Simão Branco organizou uma antologia com histórias variadas e interessantes, ressaltando mais a política brasileira em vez da estrangeira, já que constam três autores norte-americanos (Le Guin, Card e Sterling), entre eles, os mais conscientes de diferenças culturais e conhecedores da cultura brasileira ou latinoamericana. O restante dos autores estão mais sensibilizados sobre a condição do gênero no Brasil. Com os temas da redemocratização no Brasil, mundos distópicos, histórias alternativas, caos urbano, o consumismo, a tecnologia, Assembleia Estelar tem tudo para repercutir e provocar variados debates tanto para o leitor experiente, como para o iniciante do gênero.”

— M. Elizabeth Ginway, autora de Visão Alienígena: Ensaios Sobre Ficção Científica Brasileira e Professora Associada na Universidade da Flórida, em Gainesville.

Devir Livraria

Rua Teodureto Souto, 624 – Cambuci – São Paulo-SP, CEP 01539-000

Fone: (0__11) 2127- 8787 – horário comercial

Mais informações: marialuzia.devir@gmail.com

Visite o nosso site: http://www.devir.com.br/

Dançando com Dragões

3, março, 2011 3 comentários

Parece que as previsões estavam erradas e ‘Dance with Dragons’, 0 sexto livro da saga A song of ice and fire – que no Brasil está sendo publicada pela LeYa, com a tradução do português Jorge Candeias – vai sair antes do final do mundo.

É o que garante o portal da revista Entertainment Weekly na sua sessão dedicada aos livros, EW’s Shelf Life:

“Sim, é sério, após esperar pelos seis longos anos, o lendário livro 5 A Dance with Dragons está tão perto de ser concluido que o editor de Martin resolveu definir uma data de lançamento.(…)

A Dance With Dragons será lançado em 12 de julho. O original é gigantesco – o editor estimar que a edição em hardcover terá mais de 900 páginas, deixando-a com o mesmo tamanho do maior livro da série, A Storm of Swords (…)”

O site ainda tem uma curta entrevista com o autor, onde ele explica que demorou esse tempo todo porque o livro é enorme, complexo e ele só deixou de trabalhar no texto quando se finalmente sentia-se satisfeito, tendo reescrito vários capítulos por diversas vezes. Ele também adiantou que o livro trará os velhos favoritos Daenerys, Jon Snow e Tyrion Lannister, personagens novos, além de manter a estrutura de diferentes pontos de vista a cada capítulo.

Quer ver a capa?

A LeYa anunciou o lançamento de Fúria dos Reis para o dia 15 de março. Se eles mantiverem esse ritmo – e o Martin o dele – devemos ter a versão brasileira do Dance with Dragons na mesma época em que o penultimo livro da série (The Winds of Winters) sair. Mas também podemos ficar na esperança do autor ser contaminado pelo ritmo frenético da televisão…

Categories: Notícias Tags:

O som das deadlines se aproximando

3, março, 2011 12 comentários

E então, contistas, aproveitando as muitas chances em aberto?

Só para lembrar vocês, aqui vai um calendário com as principais coletâneas que ainda estão recebendo textos. Ou seja, CORRÃO/

15/03 ~ VII Demônios: Luxuria (10/24 mil caracteres – regulamento )
15/03  ~ Deus ex machina (10/24 mil caracteres – regulamento)
31/03 ~ Dieselpunk (8/18 mil palavras – regulamento)
15/04 ~VII Demônios: Soberba (10/24 mil caracteres – regulamento )
31/03 ~ Queer (5 a 20 páginas – regulamento)
15/03 ~ Steampink (24 mil caracteres – regulamento )
15/05 ~História Fantástica do Brasil: Inconfidência Mineira (25 /40 mil caracteres – regulamento)
15/05 ~VII Demônios: Preguiça (10/24 mil caracteres – regulamento)
15/06 ~VII Demônios: Avareza (10/24 mil caracteres – regulamento )
15/06 ~ História Fantástica do Brasil: Farrapos (25/40 mil caracteres – regulamento)
01/07 ~ Le monde bizarre (10/24 mil caracteres – regulamento)
15/07 ~VII Demônios: Ira (10/24 mil caracteres – regulamento )
*
*
O Antonio Luiz lembrou nos comentários da série Imaginários da Draco, que está sempre aberta ao recebimento de contos entre 20 e 40 mil caracteres dentro de qualquer subgênero da Literatura Fantástica. É só mandar o texto para editoradraco@gmail.com e torcer. O volume 4 já está fechado, mas virão outros!
E como o Cirilo Lemos comentou, existe o concurso literário FC do B, que para todos os efeitos opera como uma chamada de submissões como as indicadas acima, porém é chamado de concurso por seus organizadores. O prazo vai até 01/07.

Não deixem passar essas excelentes oportunidades: todas são coletâneas que além de não cobrarem do autor, ainda pagam os direitos autorais, em exemplares ou em dinheiro.

*

*

– Além destas, existem outras oportunidades, mas que exigem contrapartida do autor para publicar, como as antologias de literatura policial Os infiltrados e Jogos Criminais II.

Vapores da modernidade

1, março, 2011 2 comentários

Faz um pouco mais de um ano, um jovem escritor – se tem a idade da minha irmã caçula, é jovem – me pediu um favor. Ele tinha acabado de escrever o seu primeiro romance e queria uma opinião sincera. Eu perguntei se ele estava preparado para a sinceridade – poucos escritores estão, essa é a verdade. Como a resposta foi positiva, arregacei as mangas e mergulhei em um universo fantástico movido a vapor.

A história tinha pegada e o mundo construído pelo autor era fascinante. Mas como em qualquer primeira versão, tudo ainda estava muito cru. Fui má, fui cruel, mas na melhor das intenções falei toda a verdade – reforçando, claro, o melhor ponto positivo que qualquer livro pode ter: a história era completamente fascinante e implorava para ser contada, para que seus personagens ganhassem vida.

E ao contrário de muitos que se julgam profissionais mas são amadores, ele aceitou e prosseguiu, disposto a melhorar. Demorou um ano de trabalho – porque escrever até é fácil, o dificil é reescrever… – e muita dedicação do autor e da editora, mas finalmente o livro vai ganhar a forma que ele merece.

Mais do que ‘o primeiro romance steampuk brasileiro’ ou ‘ um épico com referências pop’, o Baronato de Shoah é uma história que precisava ser contada, sobre alguém que ao buscar o amor se viu forçado a escolher e fazer a coisa certa. E José Roberto Vieira conseguiu contá-la na Canção do Silêncio

O primeiro capitulo pode ser lido aqui e o prefácio de Romeu Martins está no seu blog. O blog do livro tem novidades e mais detalhes sobre esse universo.

Release:

O Baronato de Shoah – A Canção do Silêncio é o romance de estreia de José Roberto Vieira, uma emocionante aventura épica em um mundo fantástico e sombrio. Passado, presente e futuro se encontram com a cultura pop numa mistura de referências a animações, quadrinhos, RPG e videogames. Considerado o primeiro romance nacional pensado na estética steampunk, o mundo de O Baronato de Shoah une seres mitológicos como medusas e titãs a grandes inventos tecnológicos.
Desde o nascimento os Bnei Shoah são treinados para fazerem parte da Kabalah, a elite do exército do Quinto Império. Sacerdotes, Profetas, Guerreiros, Amaldiçoados, eles não conhecem outros caminhos, apenas a implacável luta pela manutenção da ordem estabelecida.
Depois de dois anos servindo o exército, Sehn Hadjakkis finalmente tem a chance de voltar para casa e cumprir uma promessa feita na infância: casar-se com seu primeiro e verdadeiro amor, Maya Hawthorn.
Entretanto, a revelação de um poderoso e surpreendente vilão põe Sehn perante um dilema: cumprir a promessa à amada ou rumar a um trágico confronto, sabendo que isso poderá destruir não só o que jurou amar e proteger, mas aquilo que aprendeu como a verdade até então.

Sobre o autor:
José Roberto Vieira
Nasceu em 1982, na capital de São Paulo. Formado em Letras pela Universidade Mackenzie, atuou como pesquisador pelo SBPC e CNPQ, atualmente é redator e revisor. Teve contos publicados na coletânea Anno Domini – Manuscritos Medievais (2008) e Pacto de Monstros (2009). BLOG www.baronatodeshoah.blogspot.com

O Baronato de Shoah – A Canção do Silêncio
Autor: José Roberto Vieira
Gênero: Literatura fantástica – romance
Formato: 14cm x 21cm
Páginas: 264 em preto e branco, papel pólen bold 90g
Capa: Cartão 250g, laminação fosca, com orelhas de 6cm
Preço de capa: R$ 46,90